18 de fev de 2014

Hit The Lights - Capitulo 14 / The Bad Sad Day


"As pedras me ensinaram a voar
O amor me ensinou a mentir
A vida me ensinou a morrer
Então não é difícil cair
Quando já se voou como uma bala de canhão"
-Cannonball, Little Mix

 P.O.V. Narradora

 Os quatro amigos já se encontravam dentro do avião. Sheeran e Lynch se sentaram juntos em Dulce e Austin a algumas cadeiras a frente. 
 -Por que?
 -Oi? -Ed encarou o loiro ao seu lado.
 -Por que você fez isso? -ele suspirou. Teria Edward uma explicação?
 -Eu a amava. Meu coração não ia aguentar ver ela atrás das grades em um cubículo só vendo a luz do sol quando a permitiam. Sem nem mesmo poder ver a Lua e as Estrelas. Então, eu achei, eu realmente acreditava, que fazendo aquilo ela iria mudar. Mas me enganei. Porém, não me arrependo. Isso tudo foi uma grande lição para mim. -sim, ele teria. Mesmo ele sabendo que o que fez foi idiotice, ele não se arrependera em nenhum momento. Ross sorria ao ouvir as palavras do amigo. -Mas, agora.... VOCÊ!
 -E-eu o...o que? -o loiro desviou os olhos do amigo.
 -Por que nunca me contou que não era gay, seu viado?!
 -Edward Sheeran falando essas coisas. Se me dissessem não ia acreditar!
 -Hahah, muito engraçado, Shor! É sério, porra!
 -Ok, senhor boca suja nervosinho. -levantou as mãos em sinal de rendição e suspirou. -Se lembra do Rick, não é? Eu fiz isso por ele e por todos que escolheram uma opção sexual diferente e são julgados todos os dias por causa disso. E você não faz a minima ideia de como assumir essa decisão é difícil para elas. -Ed não podia estar mais orgulhoso do amigo.

~//

 Austin não parava quieto na poltrona do avião. Becky ocupava toda a sua cabeça. A preocupação e a vontade de a abraçar logo inundavam seu coração.
 -Se acalme, Austin. Ela vai ficar bem. Todos vamos ficar bem. -ele suspirou.
 -Eu sei, Dulce. Mas eu a amo tanto, tanto. Que tudo isso está me matando. Eu preciso ver ela. Ver seu lindo sorriso, sua voz, ter seus braços macios em volta de meu pescoço. Suas pequenas mãos brincando com meus cabelos. Seus olhos olhando profundamente os meus... Eu preciso dela. Ela é minha vida. Minha razão pra tudo. Se acontecer alguma coisa com ela eu morro. -e sem conseguir se segurar mais, Mahone abraçou a amiga e chorou.

P.O.V. Selena

 Como? Como eu fui capaz de fazer tudo aquilo? Como eu fui capaz de roubar, de me drogar e de matar? Matar! Mesmo com tudo o que eu passei, nada, NADA, era uma justificativa para o que eu fiz e eu tinha, eu estava começando a ter, consciência de tudo isso. Eu agradeço Ed por me ter abrido os olhos.
 -Vamos, Gomez. Tem mais visita. -Visita? Que? Será a Sarah? Curiosa de novo, me levantei e segui até a mesma sala que da última vez. Assim que entrei me deparei com um belo rapaz com uma blusa xadrez e os cabelos em um pequeno topete.
 -Você.. quem... quem é você? -ele teu um sorriso malicioso.
 -Sou o seu pior pesadelo.

P.O.V. Ross

 Após quase 8h* dentro daquele avião, finalmente já estávamos dentro do táxi indo para o hotel mais próximo.
 -Aqui, e obrigado. -pago ao o táxi e descemos do veículo entrando no hotel.
 -Com licença? -Ed tentou chamar a atenção do recepcionista porém o mesmo nem lhe deu ouvidos.
 -Senhor? -Austin tentou. Não adiantou também.
 -Oi?? -eu disse um pouco mais alto. Mas, nada. Totalmente ignorados. -Dulce revirou os olhos e nos afastou.
 -Boa noite, senhor. -ele a olhou e ela deu o seu melhor sorriso. -Como vai? -ele levantou a sobrancelha e logo depois sorriu também.
 -Boa noite. Bem, obrigado. Em que posso lhe ajudar? -eu e os meninos abrimos nossas bocas em um perfeito "O"... COMO?!
 -Oh, sim, por favor. O senhor teria um quarto com quatro camas de solteiro para mim e meus amigos? -ele olhou para nós e para ela.
 -Sim, senhorita. Só tem que me fornecer alguns dados, por favor. -ele ainda sorria para ela. OK, OLHA AQUI, MEU AMIGO. PARA DE CANTA A MINHA MULHER E FAZ LOGO A MERDA DA FICHA!
 Aquela putaria demorou uns trinta minutos até que a Dulce veio até nos com a chave do quarto. Já era tarde, então nos deitamos e dormimos. Ia ser um longo dia.

P.O.V. Narradora

 Os amigos haviam chegado a Dublin já de madrugada** mas, mesmo assim, fizeram questão de acordar as 6 da manhã para começa a procurar a tal chácara Londres.
 -Olá, Robert. -Dulce comprimentou o recepcionista.
 -Olá, Senhorita Dulce. O que lhe trás aqui tão cedo?
 -O senhor poderia me ajudar com uma coisa?
 -Se tiver ao meu alcance, sem dúvidas que sim. -disse sorrindo.
 -Eu tenho uma amiga e ela tem uma chácara aqui em Dublin. Porém eu não consegui me comunicar com ela e só sei o nome que dera a chácara. Teria como achar somente pelo nome?
 -Hm... eu acredito que sim. Já tentou na internet? -e aquela pequena discussão se estendeu durante uma hora e meia.

[...]

 -Será que é aqui mesmo? -perguntou Ross.
 -Deve ser. -Ed respondeu.
 -É a mais afastada e a que se tem um acesso mais difícil.
 -Mas será que a gente não vai se machucar?
 -Não dá pra ir com um carro? Tem certeza?
 -PARA COM ESSA VIADISSE, PORRA! PARECEM TRÊS GAYS QUE TEM MEDO DE UMA PORRA DE UMA FLORESTA! CARALHO, JÁ SÃO QUATRO HORAS, -QUATRO!- ENTÃO PAREM COM A VIADAGEM  VAMOS LOGO! -Dulce explodiu e entrou na floresta escuta e úmida. Os meninos? Bem, depois daquilo, não se atreviam a dizer mais nada.

[...]

 -Caralho, já ta anoitecendo e a gente ainda não porra de chácara nenhuma!
 -Cara a porra da boca, Edward. Os três fiquem quietos e... OLHEM, ALI! -Dulce gritando em um sussurro. Todos andaram mais depressa e se depararam com uma Casa onde na frente estava escrito "Our London". Seria ali? Eles se perguntavam. Se esconderam atrás das árvores e ficaram olhando a grande casa branca com paredes de vidro e cortinas pretas fechadas a sua frente.
 -É ai. Eu tenho certeza!
 -Olhem, ali! -Ross apontou. Todos olharam na direção onde o dedo do loiro apontaram e viram, lá, Becky de joelhos. Cinco segundos depois se ouviu um barulho ensurdecedor e Austin não se aguentou e correu na direção da casa.

~//

 Selena estava lá. Sendo encarada por várias pessoas que nunca vira o rosto antes. Uma porta fora aberta e assim todos se levantaram. A juíza foi apresentada e logo depois da mesma todos se sentaram.
 -Demos inicio agora ao julgamento de Selena Marie Gomez acusada de roubo, furto, assassinado, trafico de drogas e formação de quadrilha. Agora com a palavra, o promotor Brian Marchel Walker. -ouvindo aquelas palavras que a ficha de Selena havia caído 100%.

P.O.V. Becky

 E eu estava ali. Totalmente rendida com aquela arma virada em minha direção. Virei o rosto e fechei os olhos com força com lágrimas e mais lágrimas descendo por meu rosto.
 -BECKY! -aquela voz me fez despertar. Olhei para frente e lá eu vi o garoto a quem eu desejo ver a dias. Meu garoto. Ah, que saudades eu tinha daquele rosto, daqueles olhos. Mas, por um momento de distração, o cara virou a arma em direção a Austin e atirou. E naquele momento, eu ouvi -e senti- meu coração explodindo junto com aquele barulho. Seria aquele o nosso, o MEU, fim? Totalmente fraca, me entreguei e cai no chão ao lado do garoto que amava. Só me lembro de vozes gritando meu nome.

P.O.V. Selena

 -... E, após da mesma confessar, dos testemunhos e de todas as provas colidas, eu decreto: Selena Marie Gomez está condenada a ficar 30 anos de prisão por todos os crimes que cometeu. Porém, como a ré confessou, ao completar cinco anos de prisão poderá pagar fiança... -eu parei de escutar. Meu mundo parou. 30 anos? EU já esperava por isso mas, mesmo assim, foi como um choque. Eu não ouvia nada e tudo rodava na minha frente. Eu mereci aquilo. Eu mereci tudo aquilo. Eu já matei por diversão, por tédio. Não tinha o que contestar. Os policiais começaram a me conduzir a saída e, antes de passar pela porta, dei uma última olhada para a grande sala. Lá, eu me surpreendi ao vê minha mãe. Sim, minha mãe. A mulher que me abandonou com meu pai para seguir uma estúpida carreira de atriz. Ela estava lá, chorando. Nunca entendi o real motivo de suas lágrimas. Ela nuca se preocupou comigo. Saímos do prédio e percebi que já havia anoitecido. Será que eles conseguiram?

 Continua.

NOTA

MEU DEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEUS!!!!!!!!!
Quanta novidade u.u
E ai? O que acharam?
Eu até iria escrever mais aqui na NOTA só que eu to com as minhas costas doendo, to com fome e eu fiquei quatro horas escrevendo essa porra.
Eu REALMENTE espero que tenha ficado pelo menos descente.
Bem, agora me dêem licença que EU VOU COMER TORTA DE BRIGADEIRO, POHA!! \oo/
Fue u.u
Beijo;*

NO PRÓXIMO CAPITULO

"-Como ele ta?
-Becky...
-PARA COM ESSA PORRA E RESPONDE LOGO!
-O Austin...

[...]

-Oi, Selena
-Você?!
-Eu mesma. Por que o espanto?
-Por que?! Cara, eu to nessa merda a sei la quanto tempo e você só vem me ver agora! O QUE VOCÊ QUER?
-Eu..."

* = eu pesquisei na internet e apareceu que de Nova York (onde eles estavam) para Dublin o voo é de 7:31. Porém o Ross é exagerado.

** = eu fiz as contas -sou uma menina culta, ok?- e é assim:
  • Eles visitaram a Selena as 10h no horário de Nova York ;
  • Pegaram o voo as 13h no horário de Nova York;
  • Como o voo dura mais ou menos 7h30, chegaram as 20h30 no horário de NY;
  • Nova York e Dublin têm 5h de diferença então eles chegaram 1h30 da madrugada do dia seguinte.

2 comentários:

  1. Não. Não. Não. NÃO. ISTO NAO PODE FICAR ASSIM! coitadinhoooos. Continua rápido!
    Desculpa não ter comentado antes.. Beijo <3
    <3maria<3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vou começar a escrever hoje e espero conseguir acabar, kk' ... E, bem... essa história é uma tragédia, então.... (sou má, eu sei heueheu) Beijo, pequena'

      Excluir